Reportagem

17 junho 2022, 11h55

A caminhada promovida pela Casa Benfica Mêda contou com a presença de 90 participantes

REPORTAGEM BTV

Uma caminhada de 12 quilómetros, carregada de paixão Benfiquista, deu corpo às celebrações dos 20 anos da Casa Benfica Mêda, no distrito da Guarda, onde o convívio vai além do clubismo e cativa, numa simbiose perfeita, a partilha de experiências com outras Casas do Clube na região, como se pode ver no programa "Pelas Casas do Benfica", da BTV, a respeito da embaixada n.º 151 do Sport Lisboa e Benfica.

Num concelho em que a população não chega aos cinco mil habitantes, a Casa Benfica Mêda procura ser um ponto dinamizador, ainda que só abra em dias de jogos do Benfica, da Seleção Nacional e aos domingos, dia propício a "jogos de cartas e de bilhar".

CB Mêda

Luís Amaral, presidente da Casa Benfica Mêda há cerca de um ano, sublinha o orgulho pelo trajeto feito nos últimos 20 anos pela instituição que conta com 207 filiados.

"A Casa ajuda os nossos Benfiquistas da Mêda, é uma extensão do Estádio da Luz, vivem-se aqui momentos como no Estádio", garantiu Luís Amaral, detalhando o que foi feito para celebrar o aniversário e quais os planos em mente. "Organizámos uma caminhada durante três meses, algo que nunca fizemos. Homenageámos os sócios fundadores, que são 19. E no futuro pensamos voltar a ter uma atividade desportiva, tentamos agarrar o andebol feminino de formação. Faz-nos falta ter uma atividade desportiva", enalteceu.

CB Mêda

Anselmo Sousa, presidente da Mesa da Assembleia Geral da Casa Benfica Mêda e antigo autarca, desde vereador da cultura a líder da edilidade, destacou precisamente a relevância da embaixada na comunidade.

"É uma forma de promovermos o convívio. Aceitamos, como clube plural, adeptos de outros clubes na Casa. O balanço é muito positivo. Quando a Casa apareceu houve sempre a intenção de se tornar dinâmica, foi o que aconteceu. Notamos haver mais entusiasmo. As pessoas têm aderido, a Casa tem vigor. Estas associações têm uma importância muito grande. A Casa do Benfica é dinâmica. Tivemos, em tempos, uma equipa de futebol desde os seis anos até aos 18, e depois levámos oito ou nove jovens jogadores para a equipa da Mêda. É importante para a dinamização", disse Anselmo Sousa, corroborado por Mauro Frade, antigo presidente da Casa e sócio fundador: "É um orgulho ser sócio do Benfica e da Casa. Os momentos mais difíceis já passaram. Gostava de ver uma atividade desportiva. Se conseguirem ter uma equipa de formação, excelente, seria a cereja no topo do bolo!"

CB Mêda

Mas o aniversário, assinalado com a caminhada, sem esquecer o natural almoço associado e espaçado pelo dia, em que participaram 90 convivas, foi mais um exemplo do envolvimento que atravessa as fronteiras do concelho, juntando e agregando Benfiquistas de outras Casas do distrito da Guarda. "O convívio entre Casas da nossa zona é fantástico. Temos uma grande união. Em todos os eventos na Guarda, Mêda, Trancoso, Fornos de Algodres contamos com o apoio e colaboração de todos. É muito bom ter estes convívios. Ensinamos coisas uns aos outros, partilhamos experiências, ajudando muito na aprendizagem", asseverou Vera Carvalho, presidente da Casa Benfica Guarda.

CB Mêda

Daniel Joana, presidente da Casa Benfica Trancoso, sintetizou a comunhão vivida na Beira Alta.

"Se a Casa Benfica Mêda está em festa, nós também estamos. Temos uma relação de grande proximidade. Por norma participamos nas atividades uns dos outros, reforçamos as experiências e o sentimento Benfiquista. O Benfica são as pessoas em conjunto, vai muito além do futebol. Inventamos coisas. Há sempre ideias que nós levamos e pessoas novas que conhecemos. O Benfiquismo é muito mais que uma época de futebol. Partilhamos vivências, e isso é muito cultivado pelas Casas", rematou.

Texto: Rui Miguel Gomes
Fotos: SL Benfica
Última atualização: 17 de junho de 2022

Relacionadas

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar