Futebol

13 maio 2022, 22h56

Henrique Araújo estreou-se como titular na equipa principal do Benfica com dois golos

A qualidade já reconhecida das promessas certificadas para o futuro benfiquista teve nos golos de Henrique Araújo o expoente máximo na vitória (0-2) do Benfica em Paços de Ferreira na noite de sexta-feira, 13 de maio, em jogo da 34.ª jornada da Liga Bwin, no fecho de uma temporada que termina com a frustração do insucesso, mas com a esperança que se abre em tempos vindouros.

Tomás Araújo, Morato, Sandro Cruz, Paulo Bernardo, Tiago Gouveia e Henrique Araújo são nomes desse futuro e surgiram no onze, os dois últimos em estreia absoluta como titulares, aos quais se juntaram ainda os debutantes Martim Neto e Diego Moreira, que, em pouco mais de 20 minutos, mostraram-se e sustentaram o que aí vem, para satisfação dos Benfiquistas presentes em Paços de Ferreira.

A ideia de falta de competitividade com tamanha rotatividade de elementos promovida por Nélson Veríssimo perdeu consistência aos 5'. E que melhor forma de o fazer com ações claras de quem conhece os cantos de uma casa onde tem crescido: recuperação de bola de Tiago Gouveia sobre o lateral contrário na zona intermediária, passe certo para o espaço deixado nas proximidades de Marco Baixinho, e Henrique Araújo, letal, de pé esquerdo, bateu André Ferreira com um remate cruzado (0-1).

P. Ferreira-Benfica

O Paços de Ferreira reagiu aos 16' por Adrián Butzke, com um remate para a defesa atenta de Helton. O capitão encarnado na Capital do Móvel brilhou de novo aos 22' com uma sapatada na bola após uma carambola na pequena área. Gil Dias, no mesmo minuto, ainda atirou fraco e rasteiro ao alvo, porém o guardião encarnado voltou a ser protagonista aos 26', no duelo com Adrián Butzke, e negou o empate a Hélder Ferreira aos 44'.

O Benfica foi então letal! Decorria o minuto 44 quanto Tiago Gouveia, na esquerda, após diagonal para o centro, atirou forte para defesa apertada do guarda-redes pacense formado no Benfica Campus, sem que a bola perdesse o sentido dos pés dos atacantes encarnados. Gil Dias recolheu no flanco contrário, cruzou de pé direito e Henrique Araújo, escapando aos centrais contrários, encostou de pé esquerdo para o segundo golo do Benfica (0-2), deixando os defensores contrários a protestar entre si. Foi sagaz o goleador madeirense!

P. Ferreira-Benfica

Filme do jogo

Ver mais ›

A segunda parte teve momentos altos, mesmo sem golos para qualquer uma das equipas. Um dos principais viu-se aos 68' e fica para a história de dois jovens profissionais: Martim Neto e Diego Moreira estrearam-se na equipa principal do Benfica, entrando com personalidade no jogo e exibindo a sua qualidade nas ações que protagonizaram.

Martim Neto

Antes, Tiago Gouveia fez dois remates (aos 46' e 55'), Henrique Araújo falhou o cabeceamento que lhe podia ter dado o hat-trick (aos 52'). Num dos momentos Diego Moreira, Paulo Bernardo, assistido pelo extremo de 17 anos, atirou forte e ao lado aos 70'.

A derradeira oportunidade de golo para os da casa viu-se aos 76', quando Deni Jr. colocou novamente Helton à prova.

P. Ferreira-Benfica

Mas o jogo não terminou sem que Diego Moreira tivesse, de pé direito, descaído sobre a direita, na área, obrigado André Ferreira a uma defesa apertada e Martim Neto mostrasse a sua classe no passe. O jovem médio, aos 90'+2', deixou Yaremchuk na cara do guardião pacense, mas o chapéu ficou curto. 

O Benfica saiu assim de Paços de Ferreira com os três pontos, encerrando o Campeonato na terceira posição da Liga com 74 pontos e a certeza de que não falta qualidade e categoria a florescer do Benfica Campus. Venha o futuro!

Texto: Rui Miguel Gomes
Fotos: João Paulo Trindade / SL Benfica
Última atualização: 13 de maio de 2022

Patrocinadores principais do Futebol


Relacionadas

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar